Sabemos que o cuidado com o transporte de produtos é fundamental, porém o armazenamento adequado também deve ser considerado essencial na operação de uma empresa. Mas além de investir em sistemas de armazenagem que garantam o funcionamento de toda a logística envolvida, é preciso pensar na segurança dos itens e minimizar os riscos relacionados. Essa é exatamente a finalidade do seguro de armazém e galpões. 

A modalidade entra na categoria de seguros de Riscos Patrimoniais e protege bens e mercadorias armazenadas, ou seja, que não estão sendo transportados e, por isso, não estão cobertos pelos seguros de transporte de carga, como o RCTR C e o RCF DC.

Mas como funciona o seguro de armazém, quais as suas coberturas e como é feita a contratação? Neste artigo, trataremos desses e de outros detalhes relacionados a essa apólice. Confira!

O que é seguro de armazém?

Trata-se de uma modalidade de seguros voltada a empresas ou pessoas. O seu objetivo é proteger bens contra eventuais imprevistos — incêndios, acidentes, furtos etc. — que possam vir a ocorrer no seu local de armazenagem enquanto ali estiverem.

Também conhecido como “seguro de armazém protegido”, ele está cada vez mais difundido, uma vez que os roubos a galpões desse tipo cresceram nos últimos anos. No entanto, como veremos, essa apólice pode cobrir, ainda, sinistros de outras naturezas. 

De modo geral, a sua finalidade é garantir a segurança de que ocorrências indesejadas não impedirão a continuidade ou causarão grandes prejuízos aos negócios. 

O que o seguro de armazém cobre?

O que o seguro armazém cobre

Assim como as outras modalidades, a contratação do seguro de armazém inclui coberturas básicas e também pode ter adicionais. Os riscos cobertos no primeiro grupo são a garantia principal oferecida ao cliente pela seguradora. Assim, eles podem variar de acordo com a companhia, mas alguns itens costumam estar entre os principais:

  • incêndio e/ou explosão de qualquer natureza;
  • queda de raio;
  • roubo por ameaça grave, violência física, extorsão, assalto à mão armada;
  • furto qualificado;
  • prejuízos relacionados à invasão do local.

Coberturas adicionais

Para complementar e ampliar a proteção do seguro armazém, minimizando ainda mais eventuais prejuízos, o contratante pode optar por incluir coberturas adicionais à contratação, conforme as suas necessidades.

Nesse sentido, é possível incluir situações ou danos diversos na apólice, como:

  • vendaval, granizo, furacão, ciclone, tornado;
  • alagamento;
  • danos elétricos e curto-circuito;
  • quebra de vidros ou painéis;
  • desmoronamento;
  • responsabilidade civil (operações, empregador ou danos morais);
  • vazamento de chuveiros automáticos;
  • lucros cessantes;
  • deterioração de mercadorias.

O que a modalidade não cobre?

Contudo, há de se considerar também que existem algumas ocorrências ou itens que não fazem parte das coberturas de um seguro de armazém ou galpão. Abaixo, elencamos algumas delas:

  • prejuízos causados por ato doloso, ou seja, quando causados de modo intencional;
  • perdas ou danos ocasionados e/ou facilitados pelo segurado ou funcionários;
  • fatos ocorridos com bens que se encontram em áreas externas do imóvel;
  • mercadorias de determinadas naturezas, como animais, peças de veículos de qualquer tipo, dinheiro, títulos e cheques.

Quem pode contratar um seguro desse tipo?

O seguro de armazém protegido pode ser contratado por pessoas físicas ou jurídicas, proprietárias ou locatárias de um estabelecimento comercial, industrial ou de prestação de serviços que necessitem proteger bens ou mercadorias em um determinado local de armazenagem.

Além disso, visto que a apólice pode resguardar mercadorias de terceiros que estejam armazenadas na parte interna de um galpão ou armazém, ela pode ser oferecida pelo transportador de mercadorias como um diferencial competitivo. 

Assim, ele garante que os clientes se sintam mais tranquilos em relação à segurança da carga e pode, ainda, incluir o custo no valor total cobrado no frete, por meio do cálculo do Ad Valorem. A taxa considera as despesas relativas à responsabilidade sobre os bens transportados. Explicamos todos os seus detalhes neste outro artigo.

Quanto custa o seguro de armazém protegido?

Quanto custa o seguro de armazém protegido

A apólice do seguro de armazém não costuma ter um valor muito elevado. O custo é definido por diferentes fatores, sendo que alguns podem, inclusive, ajudar a tornar esse valor ainda mais acessível. 

Localização

Distância e acessibilidade ao imóvel são fatores considerados para a formação do custo do seguro. Isso porque, a localização do armazém ou galpão faz diferença se pensarmos, por exemplo, na facilidade de acesso e no tempo necessário para a chegada do Corpo de Bombeiros, caso seja necessário controlar um incêndio. Portanto, se o local for distante e de difícil acesso, a tendência é que o preço da apólice seja mais alto.

Tipo de construção

O material utilizado na construção do armazém também está diretamente relacionado à sua segurança. Já que alguns materiais, como o concreto, são mais resistentes, enquanto outros são muito mais frágeis, como a madeira. Logo, se o imóvel for construído com materiais adequados, certamente o valor do seguro será menor.

Atividades

Algumas atividades que podem vir a ser realizadas nesses locais podem representar riscos mais altos à integridade das mercadorias. Por isso, esse fator também será considerado para determinação do custo. A manipulação de produtos inflamáveis, por exemplo, é um agravante que deixará o valor acima do normal.

Medidas de prevenção e itens protecionais

Um dos quesitos mais importantes em relação à possibilidade de redução do custo de uma apólice desse tipo é a adoção de medidas de prevenção a acidentes e outros eventos que representem ameaça aos bens

Isso inclui uma série de ações, além da aquisição de equipamentos específicos, conhecidos como “protecionais”. A seguir, listamos algumas estratégias de proteção e itens desse tipo que contribuem para uma diminuição significativa do valor do seguro de armazém.

Medidas preventivas

  • Implantação de política de gestão da segurança;
  • Treinamento da equipe em prevenção de riscos;
  • Monitoramento e revisão constantes das medidas preventivas;
  • Manutenção, controle e vigilância regulares;
  • Substituição de itens danificados.

Itens protecionais contra incêndio

  • Extintores de incêndio;
  • Detectores de fumaça;
  • Hidrantes;
  • Sprinkles;
  • Luminárias blindadas;
  • Reserva Técnica de Incêndio.

Itens protecionais contra roubo

  • Câmeras de vigilância;
  • Sistema de alarmes;
  • Cofres;
  • Segurança patrimonial;
  • Porta eclusa e controle de acesso;
  • Arames e garras de tigre.

Como contratar um seguro de armazém?

A contratação do seguro de armazém, assim como no caso das demais modalidades, deve ser realizada por meio de uma corretora de seguros. Para isso, basta entrar em contato e solicitar a cotação da apólice, fornecendo algumas informações sobre a empresa, suas necessidades e os riscos relacionados à armazenagem — basicamente os itens que acabamos de mencionar.

Dado que cada negócio tem as suas particularidades, as seguradoras costumam avaliar caso a caso para oferecer o contrato mais adequado e a corretora poderá ajudar a escolher a opção que melhor se encaixa no perfil da organização. 

Além disso, é comum que, antes da conclusão da contratação, a companhia realize uma inspeção no local para confirmar as condições do ambiente, bem como a adoção das medidas preventivas necessárias.

Sobre o autor

Jaqueline Crestani

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

blank

Continue aprendendo
com os
melhores

Deixe o seu e-mail abaixo e continue atualizado com o melhor conteúdo da área​